Escritos

Estes são alguns dos meus artigos, onde discuto diversos aspectos da produção colaborativa em rede:

Overmundo: um caso de autoria peer-to-peer

Resumo: O deslocamento do paradigma autoral na atualidade, mais aberto e interativo, está relacionado à emergência da economia peer-to-peer. Casos emblemáticos deste modelo produtivo, como o sistema operacional Linux e a enciclopédia colaborativa Wikipédia, são também exemplos notórios de experimentação de um novo modelo autoral baseado em interações distribuídas em rede. Neste artigo, num primeiro momento, fazemos uma reflexão sobre a concepção de autoria, tendo como base o pensamento de Michel Foucault. Em seguida, exploramos algumas características do processo autoral p2p que tem lugar nas redes de comunicação. Por último, apresentamos o caso do website Overmundo como um exemplo brasileiro de produção peer-to-peer.

Cooperação e controle nas dinâmicas de auto-organização em plataformas colaborativas

Resumo: As plataformas colaborativas auto-organizadas têm demonstrado qualidade e vitalidade. Com dinâmicas produtivas geridas de forma distribuída pelo coletivo de participantes, esses projetos têm sido espaço de experimentação de tecnologias de cooperação, isto é, de instrumentos criados a fim de viabilizar sua sustentabilidade. Neste artigo, abordamos alguns aspectos dessas tecnologias, especialmente os mecanismos de controle participativo empregados para assegurar a evolução positiva da produção colaborativa. Num primeiro momento, apresentamos a visão de Michel Foucault sobre o poder como positividade para, em seguida, explorar a configuração do controle na atualidade. Abordamos, então, o papel do monitoramento nas estratégias de cooperação em rede, sob inspiração dos estudos de Elinor Ostrom. Por último, apresentamos o caso do website Slashdot, como exemplo de articulação entre esses dois vetores.

Autoria e propriedade – inflexões e perspectivas de uma relação em crise

Resumo: As relações entre autoria e propriedade estão em crise na atualidade, sob o impacto das novas dinâmicas autorais presentes nas redes de comunicação. Neste artigo, num primeiro momento,
percorremos a história da autoria, pontuando suas inflexões. Em seguida, apresentamos algumas licenças alternativas que têm sido criadas como um questionamento prático das restrições vigentes
quanto à propriedade intelectual.

Autoria colaborativa e validação textual: o caso Wikipédia

Resumo: O processo autoral da Wikipédia, aberto e colaborativo, abala o modelo tradicional de produção e validação textual, baseado nas credenciais do especialista ou do escritor renomado. A fim de explorar este fenômeno, este artigo parte da premissa de que a autoria e a autorização do texto são construções históricas que variam em diferentes épocas e constituições culturais. Num primeiro momento, é feito um breve percurso por esses deslocamentos, desde a Antiguidade até o período moderno, pontuando algumas de suas inflexões. Em seguida, é analisado o modelo editorial da enciclopédia eletrônica, estruturado em um sofisticado sistema sociotécnico que, diferentemente de outras publicações colaborativas presentes na rede, tende à centralização. Por último, é apresentado um estudo de caso do verbete Faixa de Gaza da Wikipédia Lusófona, no qual pôde ser observada a dinâmica de interação entre os colaboradores.

O modelo produtivo do Software Livre como novo paradigma autoral

Resumo: A noção de autoria, tradicionalmente entendida como algo de natureza individual e privada, sofre um significativo deslocamento na atualidade, adquirindo um sentido mais interativo e aberto. Neste artigo, argumentamos que o Movimento Software Livre (MSL) é uma importante referência para esta inflexão do processo autoral, como responsável pela consolidação de um modelo produtivo alternativo baseado em interações colaborativas e no livre fluxo de informação. Além disso, Richard Stallman, seu fundador, foi o idealizador da General Public License (GPL), a licença para o registro do software livre que propõe uma subversão aos critérios do Copyright. Num primeiro momento, fazemos uma reflexão sobre o estatuto da autoria, com base no pensamento de Michel Foucault. Em seguida, abordamos o surgimento do MSL e a criação das licenças alternativas. Por último, como um exemplo da influência do modelo open source na área científica, apresentamos o caso da pesquisa de medicamentos de doenças negligenciadas.

Baixe a Revista Advir 29, com o tema “Software Livre na universidade, sociedade digital e a questão da autoria”

Repensando a autoria na era das redes

Resumo: Este breve ensaio é uma tentativa de contribuir com o debate sobre Pirataria e Cultura Livre, lançando luz sobre uma das questões de fundo envolvidas no tema, qual seja, a do deslocamento da autoria na atualidade. Esta reflexão, talvez de aparência etérea, é fundamental para definir novos marcos na discussão pública sobre a legitimidade do compartilhamento dos bens intelectuais, pois é com base na noção de autoria como algo de natureza individual que se tem defendido a privatização da cultura e do conhecimento e, mais que isso, legislado a seu favor.

Baixe o livro “Copyfight – Pirataria e Cultura Livre” completo

Autoria, propriedade e compartilhamento de bens imateriais no capitalismo cognitivo

Resumo: Uma das principais disputas político-econômicas na atualidade diz respeito às formas de circulação dos bens imateriais através das redes de comunicação. Neste artigo, como contribuição ao debate, trazemos o que consideramos ser a questão de fundo neste embate, qual seja, a do deslocamento da noção de autoria na contemporaneidade. Em primeiro lugar, iremos refletir sobre a historicidade deste conceito apresentando sua variação em diferentes épocas e contextos culturais. Num segundo momento, analisaremos a dinâmica do capitalismo cognitivo e suas implicações nesse cenário. Por último, recorremos ao conceito de commons como um possível definidor do que está em jogo neste conflito.

Escrita digital – uma exploração de sua constituição e genealogia

Resumo: Neste artigo exploramos a constituição da escrita digital em diálogo com alguns autores que tem se dedicado à investigação da história das mídias, nomeadamente, Jay Bolter e Richard Grusin, Lev Manovich e Friedrich Kittler. Nossa análise se baseia no conceito de remediação, através do qual procuramos perceber a linhagem de traços de práticas sociais de escrita de outras épocas que, em nossa visão, também constituem a escrita eletrônica. Deste modo, constatamos que a interatividade, a produção coletiva e a fluidez do texto, características tidas como próprias do meio digital, já estavam presentes em outros momentos históricos e outros espaços de escrita. Por outro lado, este método nos permite identificar também aquilo que é específico da mídia digital, seus traços distintivos, quais sejam, os da automação e da conectividade. Para compor nosso estudo, analisaremos brevemente a constituição da tecnologia eletrônica a fim de colher elementos que descrevam a genealogia da escrita nesse ambiente. Nosso objetivo ao percorrer este caminho é o de procurar um entendimento mais acurado da linguagem digital que permita uma exploração mais rigorosa de suas especificidades, potências e limitações.

Modelos de validação da produção textual colaborativa – o caso Wikipédia

Resumo: Uma das principais questões relativas às publicações eletrônicas colaborativas diz respeito à forma pela qual seu conteúdo é avaliado, isto é, quais são os instrumentos empregados para destacar a qualidade no universo de contribuições recebidas. Neste artigo, em primeiro lugar, refletimos sobre as relações entre autoria e autoridade, explorando os modos de validação da produção discursiva em diferentes períodos históricos. Num segundo momento, analisamos o modelo de qualificação de conteúdo da Wikipédia, um dos mais significativos projetos de autoria colaborativa da atualidade, e apontamos alguns de seus problemas e contradições.

A autoria em rede

Resumo: A noção de autoria sofre um deslocamento na atualidade sob o impacto das redes interativas de comunicação. Este artigo pretende explorar os diferentes modos de produção textual discursiva em meio digital e identificar quais são seus traços distintivos. Em primeiro lugar, busca diferenciar as noções de leitura e escritura hipertextual, que têm sido colocadas quase como sinônimos por alguns pesquisadores. Em seguida, procura investigar quais as características particulares da escrita eletrônica, tendo como referência o pensamento de De Kerckove. Por último, apresenta alguns exemplos de autoria digital.

O que é a autoria em rede?

Resumo: Os processos autorais colaborativos que têm lugar nas redes interativas de comunicação problematizam a noção de autoria em várias direções. Neste artigo, procuramos investigar esse fenômeno a partir de algumas ideias formuladas por Michel Foucault sobre esse tema. Inicialmente, é construída uma reflexão sobre a historicidade do conceito de autoria, a fim de se buscar filiações para as práticas contemporâneas. Em seguida, é dada atenção a duas questões levantadas pelo filósofo francês que se relacionam com a produção discursiva em rede: a possibilidade de a circulação dos discursos se dar em um anonimato do murmúrio e a função autor como a rarefação dos discursos na sociedade. Até que ponto a comunicação em rede representa uma superação ou uma confirmação daquela análise feita por Foucault? É o que pretendemos trazer para o debate.

O texto semiótico da cibercultura: Uma análise do processo modelizante da autoria no website Overmundo

Resumo: O artigo traz uma análise da publicação eletrônica Overmundo, tendo como referencial teórico a Semiótica da Cultura. A abordagem é focada especificamente na produção discursiva co-autorada, ou autoria colaborativa, existente neste website, através da exploração das linguagens que interagem para tecer a sua interface. Propõe-se, deste modo, uma interpretação do processo modelizante da autoria nesse ambiente como uma ação coletiva dialógica em um espaço público virtual.

Wikipédia – A enciclopédia colaborativa como ferramenta de estímulo à pesquisa

Resumo: A enciclopédia eletrônica Wikipédia, cujo conteúdo é desenvolvido de forma colaborativa pelo próprio público interagente, se constitui em um novo modelo de compilação do saber humano. As redes de comunicação, mais do que oferecer um novo suporte tecnológico para a indexação da informação, tornam possível a articulação de redes sociais cooperativas no empreendimento coletivo de sistematização do conhecimento. Ao propiciar um espaço para o debate e a edição colaborativa, a Wikipédia se apresenta como um recurso pedagógico muito interessante, passível de múltiplas aplicações. Vários educadores, em diversos países do mundo, já se deram conta desse potencial e têm utilizado a enciclopédia on-line como ferramenta didática em seus cursos.

Slashdot.org um caso de produção de conhecimento em rede

Resumo: A produção de conhecimento ganha uma nova dinâmica com o suporte das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação. As redes de comunicação não só permitem o acesso a múltiplas fontes de dados, como são principalmente determinantes na constituição de redes sociais e cognitivas de cooperação produtiva. O objeto de análise deste artigo, o website Slashdot.org, que funciona como um fórum de discussão na área de tecnologia e temas afins, é um caso exemplar de produção de conhecimento em rede de forma cooperativa e autoorganizativa. Seu público é formado majoritariamente por profissionais envolvidos na criação de Software Livre e de Código Aberto – SLCA, responsáveis pelo desenvolvimento de importantes inovações tecnológicas nas últimas décadas.

Cooperação e controle na rede: um estudo de caso do website Slashdot.org

Resumo: Através da análise da interface do website Slashdot.org, este trabalho pretende investigar as relações entre cooperação e controle nas interações entre parceiros na Internet. O site em questão trata predominantemente da temática do Software Livre e de Código Aberto e tem como público a comunidade hacker. O estudo de caso evidenciou a operação de um sistema de monitoramento mútuo entre parceiros como complemento do modelo de mediação cooperativa do site. Busca-se, então, explorar as especificidades desse monitoramento recíproco, tendo como referência as pesquisas sobre a construção de perfis eletrônicos como uma estratégia de controle da atualidade. As conclusões do estudo de caso apontam para uma tendência à homogeneidade na interface final dos fóruns de discussão, o que vai contra a ideia de diversidade como característica da comunicação muitos- muitos que tem lugar na Internet.

Cooperação e livre fluxo da informação. A influência da cultura hacker na definição dos padrões da Comunicação Mediada por Computador

Resumo: O computador, inicialmente um projeto de cunho científico e militar, transformou-se em um instrumento de comunicação e interação social sob a influência da ação dos hackers. Vindos de fora dos estratos institucionais, eles tiveram atuação decisiva na definição dos padrões da Comunicação Mediada por Computador, inundando a rede mundial de computadores com os valores da cooperação e da parceria. A cooperação produtiva e a defesa do livre fluxo da informação marcam a sua trajetória e são os vetores de um novo modelo de produção e distribuição de bens, que põe em questão o modelo corporativo.

E minha dissertação de mestrado:

Cooperação e Controle na Rede: Um estudo de caso do website Slashdot.org

Resumo: Através do estudo da interface de comunicação do website Slashdot.org, e suas tecnologias de auto-organização e auto-valoração, esta dissertação pretende investigar as relações entre cooperação e controle nas interações entre parceiros na Internet. O site em questão trata predominantemente da temática do Software Livre e de Código Aberto e tem como público a comunidade hacker. A trajetória hacker é analisada em articulação com o modelo de trabalho imaterial, e o sistema de mediação do site, operado de forma coletiva e distribuída, é visto como um modelo comunicacional baseado na cooperação produtiva. A pesquisa participativa evidenciou a operação de um sistema de monitoramento mútuo entre parceiros como complemento desse modelo de mediação cooperativa. A fim de se pensar o sentido dessa aproximação entre cooperação e controle, tenta-se articular as pesquisas sobre as tecnologias de cooperação com os estudos sobre visibilidade e monitoramento. Neste sentido, busca-se explorar as especificidades do monitoramento mútuo entre parceiros observado no Slashdot, tendo como referência as pesquisas sobre a construção de perfis eletrônicos como uma estratégia de controle da atualidade. As conclusões do estudo de caso apontam para uma tendência à homogeneidade da interface final dos fóruns de discussão, o que vai contra a idéia de diversidade como característica da comunicação muitos-muitos que tem lugar na Internet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s