Quem sou

Meu nome é Beatriz Cintra Martins. Nasci em São Paulo, mas moro no Rio de Janeiro já há muitos anos. Sou jornalista e desde 1995 trabalho com projetos de comunicação para a Internet.

Minha curiosidade e meu interesse em entender mais profundamente a comunicação em rede me levaram de volta à universidade.

Em 2004, ingressei no mestrado em Comunicação e Cultura da ECO/UFRJ, onde desenvolvi a pesquisa “Cooperação e Controle na Rede: um estudo de caso do website Slashdot”, com orientação do professor Henrique Antoun. Desde aquela época, já me interessava em investigar os processos colaborativos de escrita.

Terminado o mestrado, lecionei na Faculdade de Formação de Professores da Uerj, em São Gonçalo, onde procurei desenvolver uma didática que usasse as ferramentas colaborativas.

Numa das aulas, me surpreendeu a dificuldade dos alunos em interferir no texto uns dos outros, como se a autoria fosse algo de natureza estritamente individual. Esse pequeno incidente, aparentemente banal, foi de grande riqueza para mim pois me trouxe um tema de pesquisa.

Em 2008, ingressei no doutorado na ECA/USP com o projeto de pesquisa “Autoria em rede – Um estudo dos processos autorais interativos de escrita nas redes de comunicação”, e encontrei no professor Artur Matuck um interlocutor bastante interessado em discutir a questão autoral.

Este blog fez parte de minha investigação como um de meus objetos de estudo. Aqui pude desenvolver um diálogo com outros pesquisadores e interessados nesse tema. Juntos, meus posts e seus comentários, têm composto uma produção discursiva interativa.

Terminado o doutorado, resolvi manter o blog ativo, especialmente porque acredito que o tema da autoria em rede continuará não só atual, mas central para o debate sobre a definição do modelo de circulação dos bens intelectuais na era das redes de comunicação.

Atualmente sou colaboradora do NEXT – Núcleo Experimentação de Tecnologias Interativas (ICICT/FIOCRUZ) e participo do grupo de pesquisa Novas Tecnologias, Cultura e Práticas Interativas e Inovação em Saúde (FIOCRUZ).

31 Respostas para “Quem sou

  1. oi Beatriz,

    Bom saber que estamos no twitter. Acho que os textos abaixo podem te interesasar “Autoria e compartilhamento social: a criação de conteúdos na internet” ou “Escrevendo sobre o ato de escrever textos ”

    um abraço,
    Aldo de A Barreto

  2. Olá Aldo,

    Me interessa, sim, os textos que você citou. Já localizei e vou ler.
    Bom contar com sua interlocução.
    Um abraço,
    Bia

  3. Bia, demorou, mas veio superbem…

    Vi diversos temas no seu blog muito interessantes e instigantes. Essa discussão do autor no tempo, do autor oral, para o escrito e agora para o digital….que tem um retorno para algo do oral, do escrito e digital, fazendo um grande mix, dá pano para manga…

    Legal…

    Sugiro ir postando novidades no Twitter e fazendo uma lista de pessoas interessadas em receber novidades por email, pode me incluir na lista.

    beijos,

    Nepô.

    • Oi Nepô,

      Pois é, finalmente lancei minha garrafa virtual na rede para entabular conversas e encontrar interlocutores.

      Já tenho postado as novidades no twitter. Vou seguir sua sugestão da lista de email.

      Valeu a visita.🙂

      bjs

      Bia

  4. Oi Bia querida,

    Parabéns pela iniciativa e por tocar em tema tão importante! A questão da cultura remix no audiovisual vem me interessado muito no doutorado. Para alguns vj’s, por exemplo, o primeiro mandamento é dizer não a qualquer tipo de autoria…

    Um abraço
    Um autor

    • Sim, a discussão sobre a autoria perpassa vários temas da cultura atual.

      O remix, que eu abordei em um dos posts como uma antiga novidade, é um deles.

      Bom saber que você está interessado no remix no audiovisual. Quem sabe não trocamos figurinhas sobre isso?

      Valeu a visita!

      bjs

      Bia

  5. Bia,

    Uma amiga em comum passou esse site sobre o seu trabalho e achei muito interessante. Estudei na UFRJ também, na Psicologia, mas fiz monografia com a Fernanda Bruno que frenquenta a psicologia e a comunicação e eu mesmo estive algumas vezes com o Henrique Antoun também. Faço um trabalho paralelo de “literatura remixada” no blog MixLit. Misturo diferente autores e trechos de vários livros e vou com eles compondo uma nova pequena história. Faço isso desde março e o trabalho vem ganhando repercussão em jornais, blogs, redes sociais e até um trabalho na Unicamp dos graduandos de Estudos Literários. Acho que pode te interessar. Se quiser conhecer, o endereço é: http://www.mixlit.wordpress.com
    Abraços,
    Leonardo Villa-Forte

  6. Oi Leonardo,

    Muito interessante a proposta de “literatura remixada”. Minha pesquisa está mais focada na produção textual não literária, como jornalismo e enciclopédia, mas sem dúvida sua experiência está dentro do meu campo de interesse.

    A Fernanda Bruno foi minha professora no mestrado e ainda acompanho o trabalho dela.

    Vamos manter contato.

    Um abraço,

    Bia

  7. Reynaldo Carvalho

    Beatriz, que maravilha encontrar seu blog. Estou terminando meu doutorado em Literatura na Universidade de Brasília (defendo até julho/2011), e meu tema é justamente a reescritura na pós-modernidade e na cultura remix. Para iniciar nossa longa conversa (se for de seu interesse, é claro), gostaria de apresentar o Manifesto Sampler, de Mauro Gaspar (doutor em Literatura) e de Fred Coelho (doutor em História), ambos morando aí no RJ. É um trabalho espetacular:
    1) – http://www.jornalplasticobolha.com.br/pb11/texto13.htm
    2) – http://www.jornalplasticobolha.com.br/pb12/invasoresdecorpos.htm
    3) – http://www.jornalplasticobolha.com.br/pb13/invasoresdecorpos.htm
    4) – http://www.jornalplasticobolha.com.br/pb14/invasoresdecorpos.htm
    5) – http://www.jornalplasticobolha.com.br/pb15/invasoresdecorpos.htm
    6) – http://www.jornalplasticobolha.com.br/pb16/invasoresdecorpos.htm
    O blog do Fred é: http://objetosimobjetonao.blogspot.com/
    O Mauro também tem um blog, mas não o encontrei nesse momento. Eles são parceiros e com o Mauro já troquei e-mails mas acabamos não tendo mais contato. Quem sabe nós, interessados nessa temática, não formamos um Coletivo Remix ?
    Outra pessoa que trabalha com a reescritura é a escritora/doutora em Literatura Marissi Passini, do Centro de Estudos Claudio Ulpiano, também localizado no RJ:
    http://claudioulpiano.org.br.s87743.gridserver.com/?p=268
    Por ora é só. Desejo que 2011 seja o melhor ano de nossas vidas.

    • Olá Reynaldo,
      Claro que tenho interesse em alongar nossa conversa.
      Vou dar uma lida nos links que você me passou e continuamos o papo.
      Ótima ideia de criar o Coletivo Remix. Vamos amadurecendo…
      E que 2011 seja profícuo para nós e para nossos projetos!
      Um abraço,

      Bia

  8. Thiago Máximo

    olá, bacana sua pesquisa, beatriz.

    eu tô com um projeto parado. Uma nova licença : chama-se CUL – Creative Uncommon License

    Tava pra sair mas estamos enrolados , sem tempo pra terminar (eu também tô em tése e não é o meu sujeito…) falta programar o site. Nosso domínio é http://getinthecul.org/ e twitter @getinthecul

    No mais estou fazendo este projeto com Philippe Langlois, un hacker-artista francês que desenvolveu a eGPL. (essa aí já tá pronta, pode ser outra referência pra sua tese)

    se não conhecia, aí vai.
    http://www.egpl.info/

    Essa linha de licenças livres que engloba CUL e eGPL tentam incorporar aos modelos de partilha na internet o valor moral da obra. Partilhar com (e)xceção aos eventuais usos que vão contra os valores éticos do criador.

    Tive acompanhado essa purrinha do CC x Madame Holanda e to achando que o CUL vai pedir sua licença pra se mexer… um bom momento de sair, falta so arrumar um tempinho.😉

    boa pesquisa e redação aí!

    Thiago Máximo
    Doutorando em Paris 8

  9. Oi Thiago,

    Pois é, o momento pede a criação de novas licenças, novas formas de lidar com a circulação dos bens culturais. Pena que haja tanta resistência à mudança…

    Não conhecia a eGPL, vou dar uma olhada com calma.

    Minha pesquisa não é diretamente sobre as licenças, mas sobre a autoria colaborativa, o que está bem relacionado.

    Boa pesquisa pra vc também🙂

    Valeu a visita.

    Um abraço,

    Bia

  10. ricardo

    Bia,
    Visitei seu blog pela primeira dias atrás. Ainda estou explorando o conteúdo… Curto trabalhos que colocam em discussão figuras centrais em nossa sociedade como o autor, o inventor, o gênio, o especialista…
    Já conhecia seu mestrado sobre o Slashdot e fiquei instigado pela pesquisa sobre autoria. Virei outras vezes aqui dar uma olhada.
    Tenho me interessado por escrita colaborativa em aplicações educacionais, por ferramentas colaborativas como wiki e outras. Comecei a fazer algumas experiências em sala de aula, ainda incipientes, mas bastante significativas. Entre o muito que se aprende nesse ambiente, é legal observar a relação dos estudantes com uma produção que é de todos e ao mesmo tempo não é de ninguém, a dificuldade em interferir no trabalho uns dos outros, como você destaca. Aliás, se tiver alguma indicação bibliográfica nessa área, especialmente relativa a wiki, compartilhe, por favor! Estou precisando caminhar mais nessa discussão.
    Parabéns!
    Abraço,
    ricardo

    • Oi Ricardo,

      Sim, essas figuras tidas como “naturais” (o autor, o inventor) na verdade são construções históricas. Então, numa época de grandes transformações como a nossa, elas também serão deslocadas. E é muito interessante refletir sobre o sentido dessas mudanças.

      De fato a escrita colaborativa pode ser uma ferramenta pedagógica bem interessante. Há algum tempo eu escrevi um artigo sobre esse tema, “Wikipédia – A enciclopédia colaborativa como ferramenta de estímulo à pesquisa”. Você pode baixá-lo aqui no blog, na página de Escritos.

      Eu tenho o livro “Singular Texts/Plural Authors – Perspective on collaborative writing”, que relata algumas experiências nessa linha. Acho que na Amazon você consegue ver o sumário.

      E numa outra linha, eu li e gostei muito do livro da Telma Johnson “Nos bastidores da Wikipédia lusófona”, um estudo sobre as motivações e as dificuldades de se construir a enciclopédia colaborativa. Muito legal.

      E você também, se tiver alguma bibliografia interessante, compartilhe!🙂

      Obrigada pelo comentário.

      Um abraço,

      Bia

  11. luciana salazar salgado

    Olá, Beatriz,
    chego aqui por intermédio de Maria Sílvia, minha colega de UFSCar.
    Adorei este “encontro”, é daquele prazer de ver a rede se tecendo, sabe?
    Tenho desenvolvido pesquisa sempre em torno de autoria e leitura, não necessaraimente na web, mas necessaraiemte no mundo em que há web – ou seja, considero que há influência entre espaços virtuais e não virtuais e que a web não é um mundo paralelo, o ciberespaço não corre ao lado de outras espacialidades, mas junto, em interpenetrações de imaginários e práticas etc. etc.
    Por achar que tem muita conversa boa aí, tomo a liberdade de deixar o link pra minha tese na biblioteca digital da unicamp (“Ritos genéticos no mercado no mercado editorial – autoria e pra’ticas de textualiação” – http://cutter.unicamp.br/document/?code=vtls000428478): não é sobre autoria colaborativa tal como vc a estuda, mas acho que a questão de fundo pode interessar. É uma partilha instigada pelo seu chmadao aqui neste blog. Espero que possamos seguir trocando muita ideia.

    grande abraço,
    luciana

    PS: vc está constiutindo um superbanco de dados, né?

    • Olá Luciana,

      Pois é, a discussão sobre autoria é muito ampla e abrange muitos aspectos, como o da leitura que você pesquisa.

      Aqui pelo blog tenho dialogado com algumas pessoas da área de Letras que estão pesquisando outros temas relacionados à autoria, como o remix, por exemplo.

      Sem dúvida, não dá para se pensar o ciberespaço como um mundo paralelo, mas sim como mais um lugar de manifestação da cultura, com as especificidades do meio de comunicação digital.

      Já baixei sua tese e, assim que puder, darei uma olhada com calma. Acho muito interessante que possamos encontrar pontos em comum em nossas pesquisas e ir construindo algum tipo de interlocução – algo que julgo ser muito precioso na vida acadêmica.

      E, sim, estou mesmo tentando montar um banco de dados de referência sobre o tema aqui no blog. Afinal a essência da produção cooperativa é o compartilhamento de ideias, arquivos, fontes etc.

      Obrigada pela visita e pelo comentário🙂

      Um abraço,

      Bia

  12. Olá Beatriz, tudo bom?
    Legal saber que você fez mestrado com a Fernanda. Eu adorei estudar e fazer pesquisa com ela. Acho que ela agora está na França para um pós-doc, não? Tenho entrado bastante no seu seu site. Andei buscando parte da bibliografia que você propõe lá exatamente por conta de uma “Oficina de Remix Literário” baseada na minha experiência no site MixLit, que darei no evento ArteFórum na UFRJ dias 4 e 5 de junho próximos. Se você puder, me mande seu email, gostaria de lhe enviar o convite. E aqui no blog parece que tem muita gente interessada nessa questão da mistura de linguagens e discursos literários.
    Meu email é leovillaforte@yahoo.com.br
    um abraço,
    Leonardo.

    • Oi Leonardo,

      Legal que você esteja voltando ao blog. Uma das coisas que tenho tentado fazer aqui é montar um repositório de referências sobre as questões ligadas às novas formas de autoria, entre elas o remix.

      Você chegou a olhar os comentários? Porque o Reynaldo Carvalho, que está agora terminando o doutorado sobre o tema do remix na UNB, tem postado várias dicas interessantes em seus comentários.

      A Fernanda Bruno deve estar voltando pro Brasil, acredito. Eu atualmente estou fazendo um estágio de doutorado no Porto, em Portugal, mas também já estou quase terminando.

      Vou lhe enviar meu e-mail. Eu ainda não estarei de volta na data do seu curso, mas posso divulgar pra outras pessoas.

      Um abraço,
      Bia

  13. Beatriz,

    Descubri teu blog e tua pesquisa muito por acaso, e já fico me perguntando como não o achei antes. Sou um dos editores do http://baixacultura.org, uma página que versa sobre muitas das coisas que tu vem estudando.
    Muito bom conhecer esse espaço. Vou fazer uma varredura pra pescar as ótimas referências.
    abraço!

  14. Cláudia Raquel Lima

    Boa tarde
    Sobre teoria dos New Media, Redes e questões de autoria no espaço da internet, poderão interessar alguns textos do autor Machuco Rosa. Poderá encontrar alguns em http://paginas.ulusofona.pt/p138/publi.htm

    Cumprimentos,
    Cláudia Raquel Lima

    • Olá Cláudia,

      Obrigada pela sugestão de leitura. Certamente a bibliografia relativa à questão de autoria no contexto das redes me interessa.

      Por coincidēncia acabo de realizar estágio de doutorado em Portugal, mas não conheci a pesquisa de Machuco Rosa. Terei oportunidade agora de fazē-lo.

      Um abraço,

      Bia

  15. Cara Senhora Beatriz Martins,

    Somos Anne-Charlotte Louis e Henrique Moretzsohn de Andrade, co-fundadores da Zarpante. Zarpante (http://www.zarpante.com) é uma plataforma de financiamento coletivo e de criação colaborativa para projetos criativos e sociais lusófonos.

    Achamos sua iniciativa muito interessantes e gostaríamos de estabelecer uma parceria com você.

    Aguardamos seu contacto.

    Cordialmente,
    Anne-Charlotte Louis e Henrique Moretzsohn de Andrade
    contacto@zarpante.com

    • Caros Anne-Charlotte Louis e Henrique Moretzsohn de Andrade,

      Visitei o Zarpante e gostei muito da iniciativa.

      Tenho o maior interesse em estabelecer uma parceria com vocês, pois entendo que somos projetos afins.

      Estou enviando um email para “conversarmos” melhor.

      Um abraço,

      Bia

  16. Denise

    Olá, Beatriz.
    Estava buscando sobre autoria e achei seu blog. Estou concluindo letras tradução e gosto muito de saber sobre tudo isso que você fala nos seus textos.
    Ainda estou lendo todos os posts mas, de cara, já gostei muito.
    Parabéns.
    Vou manter o endereço para passar sempre por aqui para conhecer melhor e me atualizar com você.
    Abraço.
    Denise

  17. leopoldo cavaleri gerhardinger

    Prezada Bia,
    Estou facilitando um processo de co-autoria na web de uma Agenda Programática para Redes Costeiras e Marinhas que surgiu de uma atividade auto-gestionada na Cúpula dos Povos (Rio+20) em 2012.
    O ponto de entrada é ouvidoriadomar.tumblr.com
    Enquanto facilitador desta iniciativa, gostaria de conversar contigo sobre as tecnologias disponíveis para melhorar nossa colaboração virtual na Ouvidoria do Mar.
    Se possível, poderiamos nos comunicar inicialmente por e-mail, mas não encontrei o vosso contato por aqui. O meu endereço é leocavaleri@gmail.com e meu skype: leocavaleri
    Um abraço
    Leopoldo

    • Oi Leopoldo,

      Interessante a iniciativa.

      Estou entrando em contato com você via email para conversarmos melhor.

      Um abraço,

      Bia

      PS – Não divulgo meu email aqui pois prefiro incentivar o diálogo via comentários, ao menos inicialmente. Quem sabe outras pessoas não se interessam pelo assunto, não é mesmo?

  18. Olá, tudo bem ?
    Sou estudante de Multimidia, estou projetando uma revista digital sobre Creative Commons e você usa as licenças.
    Posso usar seu blog como exemplo ?

    Contado
    E-mail: jeehsan_@outlook.com

    Obrigada!
    Abs.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s