A Wikipédia ainda pode ser chamada de enciclopédia livre?

Uma das principais questões relativas às publicações eletrônicas colaborativas diz respeito à forma pela qual seu conteúdo é avaliado, isto é, quais são os instrumentos empregados para destacar a qualidade no universo de contribuições recebidas. Enquanto Slashdot, Digg e Overmundo optam por sistemas de auto-valoração de seu conteúdo, a Wikipédia, um dos mais significativos projetos de autoria colaborativa da rede, se baseia em regras pré-estabelecidas e em sistemas fiscalizadores como forma de qualificar seus artigos.

Com o crescimento do projeto, esse modelo tem apresentado alguns problemas, o maior deles, uma grande tendência à centralização do processo editorial. A relação entre usuários e administradores na Wikipédia Lusófona confirma isso: atualmente são 35 administradores para 781.999 usuários registrados. O problema é reforçado pela relação tensa entre veteranos, em especial administradores, e usuários novatos, um dos principais conflitos observados na comunidade. Os que chegam muitas vezes são surpreendidos por reversões de suas contribuições e até punições, sem que entendam direito o que fizeram de errado. E os veteranos muitas vezes se ocupam muito mais em participar de discussões e disputas do que em produzir algo relevante para a publicação.

Todos podem editar a Wikipédia, a questão é conseguir fazer com que suas contribuições não sejam eliminadas. E esta habilidade parece estar relacionada ao status de cada editor na comunidade. De acordo com pesquisa coordenada por Edi H Chi, do grupo Augmented Social Cognition de Palo Alto Researcher Center, as chances de um editor de elite ter sua colaboração revertida são de 1%. Já para aqueles que fazem de uma a nove edições por mês este número sobe para 15%, e para os que fazem apenas uma edição no mês, o índice chega a 25%. Ou seja, um quarto das contribuições de editores eventuais é descartado. Pode-se argumentar que os mais antigos estão mais afinados com as normas da publicação e que os novatos ou colaboradores eventuais erram mais. Só uma pesquisa empírica poderá esclarecer até que ponto as reversões são justas, no entanto o conjunto das informações aponta mesmo para uma significativa centralização do processo editorial.

O que observamos é a emergência de uma elite editorial, não mais baseada nos requisitos da especialização ou do talento, mas formada a partir de critérios que levam em conta o tempo de dedicação ao projeto e a quantidade de contribuições oferecidas. Se por um lado o critério é justo, pois valoriza aquele que mais trabalhou pelo projeto, por outro lado apresenta certa fragilidade, pois dá margem disputas entre veteranos e novatos nas quais nem sempre há muita clareza sobre o mérito de quem vence – quando, por exemplo, as colaborações são revertidas sem maiores explicações – fazendo com que muitos desistam de participar da publicação.

Por último, vale a pena mencionar também a própria concepção de valor enciclopédico na qual se baseia o projeto. Entre as regras de edição da Wikipédia Lusófona há o conceito de notoriedade, como um dos critérios para a relevância de um verbete, que “é diferente do conceito de fama, importância ou popularidade, embora estes possam ter uma correlação positiva com a notoriedade”. Esses critérios são debatidos entre a comunidade até se chegar à definição de uma norma. No momento, os parâmetros para algumas áreas já estão definidos, enquanto outros ainda estão sendo discutidos. Já foi definido, por exemplo, que todas as novelas são notórias, mas apenas os filmes longa metragem que tenham enredo (?) e sejam citados em uma publicação fiável têm notoriedade. Em relação a obras artísticas em geral, valem as já consagradas ou largamente estudadas. As recentes devem ser consideradas não apenas em relação a sua publicação, mas também pela análise em publicações respeitadas, assim como por sua repercussão.

É certo que a enciclopédia pode estabelecer critérios a fim de definir uma linha editorial. O que se percebe é que da forma como estão definidos, esses critérios valorizam o que já está reconhecido socialmente, e fecham espaço para o novo que muitas vezes mereceria ser incluído por sua importância. Numa lógica oposta à horizontalidade da rede, observa-se por exemplo que os temas da cultura de massa, muitas vezes efêmeros, são plenamente contemplados e que, no entanto, as produções independentes tendem a ser rejeitadas. Como exemplo, citamos o caso dos artistas Edgar Franco e Fábio Oliveira Nunes, que tiveram verbetes sobre suas obras retirados da publicação, em 2007, com a justificativa de que não possuíam relevância. Indignados, eles então criaram o projeto Freakpedia, como a verdadeira enciclopédia livre, onde qualquer assunto pode virar verbete, em um protesto contra o que consideram uma “lógica excludente, maximizada pelo desconhecimento dos assuntos tratados”.

Analisamos aqui, de forma breve, alguns problemas do modelo de validação de conteúdo da Wikipédia. O que observamos é uma tendência à centralização nas decisões o que é oposto a sua proposta autoral, supostamente, aberta e distribuída. Esta contradição tem consequências para a proposta original do projeto, na medida em que muitas contribuições são revertidas, não chegando portanto a fazer parte da obra, a não ser por algumas horas. É compreensível que, com o grande crescimento do projeto, seu sistema de qualificação deveria ser aperfeiçoado a fim de combater o vandalismo e o spam. No entanto, nos parece que as medidas implementadas, representadas por novas normas e critérios e no aumento do poder dos administradores, acabaram ferindo o conceito maior que regia o projeto quando foi criado: o de ser a enciclopédia livre.

7 Comentários

Arquivado em Autoria Colaborativa, Validação, Wikipédia

7 Respostas para “A Wikipédia ainda pode ser chamada de enciclopédia livre?

  1. Olá Beatriz,

    Parabéns pelo Blog e pela seriedade de suas investigações!
    Você é sagaz, ponderada e crítica ao escrever!

    Abraço pós-humano,
    Edgar Franco

    • Oi Edgar,
      Uma honra tê-lo por aqui. Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Tinha esquecido de fazer o link pra Freakpedia, mas agora coloquei.
      Um abraço,

      Bia

  2. Pingback: Autoria e autoridade – ou quem autoriza o discurso? « Autoria em rede

  3. Pingback: /BLOG - fabiofon.com : A Wikipédia ainda pode ser chamada de enciclopédia livre?

  4. Pingback: links for 2011-08-31 | CIBERCRÍTICA

  5. Pingback: Testando a Wikipédia | Autoria em rede

  6. Pingback: A credibilidade da Wikipédia, mais uma vez, em xeque | Autoria em rede

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s