WikiRebels – o documentário

Embora já um pouco antigo, do final de 2010, o documentário WikiRebels continua relevante. Produzido pela tv estatal sueca (SVT), conta os detalhes da história do Wikileaks, do seu surgimento até o início do controverso processo judicial contra seu líder Julian Assange.

O vídeo, com legendas em português, traz imagens fortes de assassinatos de civis no Iraque pelas forças armadas dos Estados Unidos, que lamentavelmente não foram devidamente investigados e punidos até hoje.

O mais importante, porém, é que as imagens e documentos vazados pela organização transformaram para sempre a relação de forças na chamada guerra da informação. O Wikileaks criou um sistema de vazamento de informações de interesse público, ao oferecer um caminho para que os cidadãos possam divulgar e denunciar atos governamentais que julguem ilícitos, que dificilmente será estancado. Edward Snowden, responsável por tornar público detalhes do sistema de vigilância global da NSA, que o diga.

Estranho mundo este em que se defende com tanto fervor a liberdade de expressão, mas onde três protagonistas dos principais vazamentos de dados de alto interesse público estão confinados: Chelsea Manning, soldado que forneceu arquivos secretos norte-americanos ao Wikileaks, foi sentenciada a 35 anos de prisão; Julian Assange está refugiado na Embaixada do Equador em Londres há mais de dois anos e meio; e Edward Snowden permanece em asilo político desde junho de 2013 na Rússia.

Liberdade de expressão para que e para quem? Falta responder…

4 Comentários

Arquivado em Cultura hacker, Vigilância, Wikileaks

4 Respostas para “WikiRebels – o documentário

  1. A informação é uma arma poderosa demais, não é Bia? Seja em que suporte for. Omitida, maliciosamente editada, deturpada, mal apurada… causa danos extensos e muitas vezes irreparáveis. Estava assistindo ontem na TV Brasil a uma produção francesa sobre agrotóxicos (http://tvbrasil.ebc.com.br/nossovenenocotidiano)
    Uma das perguntas era: se sabem dos males que causam à saúde, por que não divulgam os relatórios das pesquisas? A Monsanto e outras devem ter a resposta.

    • Pois é, Teresa, são tantos interesses em jogo e tanta manipulação da informação que chega a ser irônico ver a grande imprensa defendendo a liberdade de expressão…

      E falando em agrotóxicos, o Silvio Tendler lançou os documentários “O veneno está na mesa” e “O veneno está na mesa II”, que foram muito pouco divulgados e comentados. Já estão disponíveis no Youtube, aqui http://youtu.be/a6Lawf6CTek e aqui http://youtu.be/fyvoKljtvG4.

      Valeu a visita!

      bj

      Bia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s