Testando a Wikipédia

O ano está terminando e eu também estou finalizando a escrita da tese. O último capítulo é dedicado a estudos empíricos, um deles com a Wikipédia. Não vou esmiuçar aqui como foi a experiência – em breve termino a tese, e aí quem tiver interesse poderá conhecer os detalhes – mas apenas resumir o que foi feito e quais foram as minhas conclusões.

Primeiro eu escolhi alguns temas polêmicos para fazer edições e testar como seria a reação dos colaboradores mais antigos. Optei por este tipo de interferência porque eu havia lido alguns trabalhos que relatavam ocorrências de conflito entre colaboradores eventuais e os mais antigos que resultavam em reversões das edições. Eu comentei isso neste post. Fiz também um estudo do verbete “Faixa de Gaza” com a análise das edições desde a sua criação em 18 de fevereiro de 2004 até 16 de novembro de 2011.

O surpreendente para mim foi observar uma boa maleabilidade no processo editorial. As intervenções que fiz em alguns verbetes não foram revertidas, apesar de conterem afirmações potencialmente polêmicas. Em pelo menos um dos casos, o acréscimo que fiz foi claramente contrário ao texto do restante do artigo. Vale ressaltar que em todas as vezes eu segui as normas de edição, especialmente fornecendo referências de outras fontes reputadas, como matérias de jornais. Acredito que isso tenha dado mais consistência às intervenções que fiz. De toda maneira, pelos dados que havia coletado anteriormente, eu esperava que minhas edições sofressem algum tipo de cerceamento, o que não aconteceu.

No verbete Faixa de Gaza o resultado foi na mesma linha. Desta vez eu não fiz edições, mas apenas acompanhei através do histórico da página todo o processo de elaboração do conteúdo por mais de sete anos. Lendo a página de discussão, pude constatar que houve um grande debate em torno da inclusão, feita por um dos colaboradores, da afirmação de que a Faixa de Gaza poderia ser comparada a um campo de concentração. Inicialmente houve uma guerra de edições entre dois colaboradores, um incluindo e o outro retirando essa afirmação. Em seguida, entrou em campo um dos administradores e tornou a página protegida permitindo a edição só de administradores, e direcionando o debate para a página de discussão. Ali o debate esquentou, com o uso de argumentos e também de desqualificações de parte a parte, até que se chegou a um acordo, retirando a afirmação daquele verbete e incluindo-a na página sobre Bloqueio à Faixa de Gaza. Ficou evidente a atuação de um dos administradores no sentido de amainar os ânimos e encaminhar a questão para uma solução de consenso de forma equilibrada.

Por último, um evento que não fez parte do meu estudo, mas que me chamou a atenção, comprovou mais uma vez a abertura da Wikipédia para a livre expressão de seus colaboradores. Em 15 de dezembro último foi criado o verbete A Privataria Tucana, sobre o livro do jornalista Amaury Ribeiro Jr., lançado recentemente, que ganhou grande repercussão nas redes sociais embora tenha sido ignorado pela grande imprensa do país. Pois bem, um dos colaboradores solicitou que o verbete fosse retirado da enciclopédia mais ou menos com os mesmos argumentos que a grande imprensa tem usado para não mencioná-lo – que não traz fato novo, que o jornalista teria sido indiciado pela Polícia Federal então não teria credibilidade (embora nem tenha sido comprovada sua culpa) etc. O caso foi à votação, o que também repercutiu pelas redes sociais como uma ameaça à liberdade de expressão, e o resultado foi que o verbete permaneceu publicado. Venceu a diversidade de opinião.

Por tudo isso, a conclusão que eu chego é que a Wikipédia é um projeto de dimensão extraordinária e que por isso é natural que tenha problemas. São muitas comunidades envolvidas, sem dúvida há disputas sobre as narrativas que serão dominantes nos verbetes, mas mesmo assim existe ainda uma boa margem de manobra, um grande espaço para a participação de novos colaboradores e inserção de narrativas alternativas. Também é fato que as edições devem seguir uma série de normas que nem sempre um colaborador eventual teve tempo de conhecer, o que pode explicar o grande número de reversões dessas colaborações. O estudo que fiz não teve a intenção de dar conta de toda a complexidade envolvida na publicação mas pretendeu testar algumas características e observar como se dá a dinâmica das interações. Mais detalhes, como falei, em breve na tese.

4 Comentários

Arquivado em Autoria Colaborativa, Tese, Wikipédia

4 Respostas para “Testando a Wikipédia

  1. Olá, Beatriz,
    chego aqui (pela segunda vez) por recomendação da colega Luciana Salazar. Acredito que nossas pesquisa têm grande afinidade: defendi em setembro uma tese sobre os processos editoriais na Wikipédia em português. Desculpe pelo “jabá”, mas acho que vai te interessar: http://novasm.blogspot.com/p/tese.html. Boa sorte na tese, que certamente terei interesse em ler. Abs, Carlos

    • Olá Carlos,

      Acabei de ler o resumo da sua tese, muito interessante! Temos sim grande afinidade em nossas pesquisas. Vou baixar o arquivo para ler com calma.

      Achei sensacional a dica do WikipediAnalyserPT. Vai me ajudar a dar um tratamento mais aprimorado ao verbete que estou analisando. Valeu a dica!

      Vamos continuar nossa interlocução. Temos muito o que trocar.

      Um abraço,

      Bia

  2. Oi, Bia,
    o WikipediAnalyserPT foi uma ferramenta fundamental para a pesquisa e fizemos questão de disponibilizá-la para outros pesquisadores. A instalação é um pouco complicada, se precisar de ajuda faça contato! abs, Carlos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s