Estudo conclui que alto preço é a principal causa da pirataria

Foi divulgada esta semana uma pesquisa sobre a pirataria de produtos digitais em países emergentes, abordando os casos do Brasil, Índia, Rússia, África do Sul, México e Bolívia. De acordo com o estudo, a maior causa da disseminação desse tipo de comércio é o preço praticado nesses países, de cinco a dez vezes mais caro do que nos EUA ou na Europa. O que, por outro lado, é consequência da falta de competição nesses mercados, dominados pelas grandes empresas globais.

A investigação conclui ainda que as campanhas anti-pirataria nesses países têm fracassado por tentarem camuflar essa realidade, ligando o comércio de cópias ilegais a crimes de outra natureza. Há algum tempo, por exemplo, havia uma campanha no Brasil que relacionava os DVDs piratas ao tráfico de drogas(!). Mas isso nunca foi confirmado oficialmente.

Ronaldo Lemos, do Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getúlio Vargas e do Instituto Overmundo, foi um dos coordenadores do estudo de 426 páginas, das quais 80 são dedicadas ao Brasil. Em matéria publicada pelo jornal O Globo, ele comenta que os números divulgados nessas campanhas também não são reais. Diz-se, por exemplo, que o Brasil perde dois milhões de empregos e que deixa de recolher em impostos R$ 30 bilhões por ano por causa da pirataria. Os pesquisadores buscaram as fontes desses números e constataram que elas não existem: os valores simplesmente foram inventados!

Por fim, a pesquisa chega a uma conclusão interessante, que vem ao encontro de tudo o que tenho escrito aqui no blog: é mais fácil mudar as leis do que transformar as práticas. Através de um lobby pesado, a indústria cultural tem obtido sucesso em tornar a legislação de proteção à propriedade intelectual cada vez mais restritiva. No entanto, não tem conseguido fazer com que ela seja efetivamente aplicada pelos governos. Isso porque os modos de circulação dos bens culturais na sociedade mudaram, se tornaram muito mais rápidos, baratos e propícios ao compartilhamento.

Mais inteligente seria se adaptar a esse modelo, criando novas formas de remuneração que estejam de acordo com os custos envolvidos. Não se pode querer cobrar preços exorbitantes para cópias digitais cuja reprodução é extremamente barata.

Conheça a pesquisa na íntegra em piracy.ssrc.org

4 Comentários

Arquivado em Pirataria

4 Respostas para “Estudo conclui que alto preço é a principal causa da pirataria

  1. De longe e publicando. Que bom. Compartilhei.

  2. Oi Mara,

    Pois é, longe, mas conectada… rsrs

    bjs

  3. Pingback: Redes peer-to-peer fazem bem à criação | Autoria em rede

  4. Pingback: Será que a repressão adianta no combate à pirataria? | Autoria em rede

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s